fbpx
Oferta!

#VidasNegrasImportam e libertação negra

R$ 55,00 R$ 45,00

PRÉ-VENDA COM DESCONTO!

#VidasNegrasImportam e libertação negra
Autora: Keeanga-Yamahtta Taylor
Tradução: Thali Bento
Prefácios: Natália Neris
Edição: Tadeu Breda
Preparação: Luiza Brandino
Capa: Giulia Fagundes & Guilherme Vieira / Estúdio Daó
Projeto gráfico: Bianca Oliveira
Lançamento: outubro de 2020
Páginas: 462
Dimensões: 14 x 21 cm
ISBN: 978-65-87235-16-5

FRETE GRÁTIS :: ENVIOS A PARTIR DE 15/11

REF: 9786587235165 Categorias: , , , ,

Descrição

“O racismo nos Estados Unidos sempre foi o meio utilizado pelos homens brancos mais poderosos do país para justificarem seu governo, ganharem dinheiro e manterem o resto de nós à distância. Por essa razão, o racismo, o capitalismo e o domínio de classe sempre se entrelaçaram de tal maneira que é impossível imaginar um sem o outro.”

Eis uma das conclusões de #VidasNegrasImportam e libertação negra, de Keeanga-Yamahtta Taylor, que entra em pré-venda pela Editora Elefante a partir de hoje. Lançado em 2016, o livro resgata e discute o movimento #BlackLivesMatter, surgido em 2014 em reação ao assassinato do jovem negro Michael Brown pela polícia de Ferguson, no estado do Missouri.

Os protestos, que se espalharam pelo país e se estenderam até 2015, ocorreram quando a Casa Branca — “um edifício construído por escravos em 1795”, lembra Keeanga — era ocupada pelo primeiro presidente negro dos Estados Unidos. As manifestações foram de encontro à ideia, então defendida por muitos, de que o país estava finalmente superando o racismo.

“Como explicar a ascensão de um jovem presidente negro, juntamente com o exponencial crescimento da classe política negra e o aparecimento de uma pequena porém expressiva elite econômica negra, concomitantemente com o surgimento de um movimento social cujo slogan é um lembrete de que ‘vidas negras importam’?”, questiona a autora.

“Não é preciso dizer que assassinato e brutalidade policiais são apenas a ponta do iceberg quando se trata do sistema de justiça criminal estadunidense”, continua, trazendo mais uma dimensão à sua análise, aplicável também ao Brasil: “É impossível entender o intenso policiamento nas comunidades negras sem analisar as décadas de ‘guerra às drogas’ e o encarceramento em massa.”

 

SOBRE A AUTORA

Keeanga-Yamahtta Taylor possui mestrado e doutorado em estudos afro-estadunidenses pela Universidade Northwestern, Illinois, nos Estados Unidos, e é professora assistente de estudos afro-estadunidenses na Universidade de Princeton. Além de acadêmica, é escritora e ativista do movimento negro, autora de vários artigos sobre racismo estrutural.